MENU

Guia do Carnaval do Rio

Bandas e blocos

As festas de rua do Carnaval do Rio são sinônimo de diversão garantida para todo tipo de folião. As atividades começam no início de janeiro e vão até o domingo depois do Carnaval.. Em 2017, mais de 450 blocos tomaram as ruas da Cidade Maravilhosa, do Centro à Zona Oeste.

A história dos blocos começa no início do século 19, com a criação de cordões. Os grupos organizavam desfiles, com coreografias no Carnaval. Quando agregavam aos instrumentos de sopro aos de percussão eram chamados de bandas. Ao longo das décadas do século 20, passaram a compor sambas próprios e ter fantasias ou camisetas criadas especialmente.

Atualmente, os blocos tocam de tudo, de Raul Seixas até o “batidão” do funk carioca, geralmente misturados ao samba. Devido a grande popularidade, passaram a restringir o trajeto dos desfiles por seus respectivos bairros.

Conheça alguns dos mais famosos:

Banda de Ipanema

Considerado o bloco carnavalesco mais democrático da cidade, desfila pelas ruas de Ipanema arrastando pessoas de todas as idades e classes sociais, além das incontáveis drag-queens.

Suvaco do Cristo

Desfila no bairro do Jardim Botânico, localizado no que seria uma linha reta a partir das axilas da estátua do Cristo Redentor, no morro do Corcovado. De acordo com os integrantes do bloco, o nome teria sido inspirado no cantor e compositor Tom Jobim, morador da vizinhança, que dizia que em sua casa tudo mofava porque ele vivia no sovaco do Cristo.

Simpatia é quase amor
Criado em 1985, surgiu em meio à campanha pelas Diretas Já como uma homenagem ao personagem Esmeraldo Simpatia é Quase Amor, criado pelo artista Aldir Blanc. Desfila na Praça General Osório, em Ipanema, com as cores amarelo e o lilás, em referência ao remédio Engov, que alivia os sintomas da ressaca.

Bloco das Carmelitas
Desde 1990, o bloco abre e fecha a folia no bairro de Santa Teresa, desfilando na na sexta que antecede o carnaval e outra na terça-feira gorda. Os foliões criaram a lenda de que, todo ano, uma freira pula o muro do Convento das Carmelitas para pular o Carnaval. Por isso, virou tradição que homens e mulheres saiam fantasiados de freiras, para que a "fujona" possa brincar sem ser reconhecida.

Cordão do Bola Preta
Um dos mais tradicionais bloco do Rio, arrasta mais de 300 mil pessoas em seu desfile, realizado na Avenida Rio Branco, no Centro da cidade, na manhã do sábado de carnaval. Fundado em 1918 conta com vasto repertório de marchinhas. O uniforme “oficial” pode ser qualquer roupa branca com bolinhas pretas.

Monobloco
Com cerca de 120 músicos, o bloco costuma encerrar os desfiles dos blocos no Domingo após o Carnaval com grande presença do público jovem. Criado no ano 2000 como oficina de percussão, o grupo mistura vários estilos musicais, como samba, xote, jongo e música pop.